domingo, 11 de julho de 2010

Capítulo 17 e Capítulo 18



Ela
Capítulo 17
Dor

Os dias estavam cinzentos em uma dor incontrolável, em um céu que aos poucos se tingia de vermelho, enquanto olhava o céu e a certeza de um fim para um começo parecia simplesmente impossível. Um impulso não poderia ser a resposta para todos os problemas de um relacionamento que cada dia se transformava em um joguete de sobreviventes com sorrisos falsos e doentes.
E eu querendo correr, e fugir dessa confusão entrei em uma porta que para mim foi o mesmo que entrar para escuridão, moveis frios e sujos fazem parte, moveis frios e sujos fazer parte de um mundo impuro, onde o meu desejo apagado no passado parece agora florir como uma noticia já pré data em um belo muro.


Ele
Capítulo 18
Verdade

O trabalho me cansava de forma dolorida, agora estávamos fazendo alguns shows, e mesmo assim aquela jovem parecia me perseguir, todos os shows, ensaios em podia encontrar com o seu toque, seus beijos, e seu caloroso abraço, e seus gritos entre as outras pessoas que ouviam a música pareciam se separar de todas as outras, se eu fosse o cantor dedicaria todas as músicas agora para ela, e só para ela.
Só que meu peito arde de uma forma que não posso controlar, o que estou fazendo? ...Estou me enganando, estou enganando, eu estou enganando-a
Dessa vez eu não vou me enganar mais, vou rasgar essa cortina que me separa da verdade, e gritar os ventos que o que eu sinto, porém eu não sei bem o que sinto, eu não sei bem o que eu quero, sinto um amor incrustado entre cinzas, porém não sei se ele, porém não sei se ele vive.

Eu demoro, porém um dia eu posto.

3 comentários:

  1. Como sempre perfeito!

    Vc consegue expressar os sentimentos de forma tocante sem ser piegas.

    Adoro!

    ResponderExcluir
  2. Quanto tempo não visito seu blog! ADOREI o novo layout! :)

    ResponderExcluir